carta para minha mãe

  • por Juliana Marcondes 24/jun/17

    mãe,

    são os teus anos, como dizem cá nesta terra que é hoje minha casa. já estou a falar como eles. quase como, num português híbrido que ainda preserva meu sotaque do sul mas fica mais próximo do teu. sempre penso nisso e sorrio achando graça. é ponte aérea para a saudade.

    lembro que no ano passado estavas aqui, brindamos com rosé e vimos o pôr do sol em lisboa. lembro que teve anos que acendemos fogueira na fazenda e com festa junina saudamos o são joão. alguns anos passamos em curitiba, com frio e festa. teve um, que foi de saudade do vô Gaspar (e sempre será).

    foram vários em que estávamos perto. poucos – como o de hoje – longe. a vida agora é assim, trouxe-nos a distância, o senão desta vida estrangeira.

    eu queria te desejar uma imensidão de coisas boas. queria te agradecer sempre, por tanto.

    queria te dizer, que está tudo bem do lado de cá. que me ensinaste a ser forte, a ser uma boa pessoa. que é bom saber que tenho teu colo, o teu whatsapp nas horas certas, o teu feijão e as tapiocas no congelador, tua carta com nossa foto na porta da geladeira, teu carinho por todo o lado. sinto-me no ninho aqui também.

    que tenhas em dobro tudo o que dás ao mundo, mãe. é ainda pouco por tudo que fazes nele.

    da tua filha,

    Juliana


    portugal, no ano passado

    JANEIRO

  • por Juliana Marcondes 28/mai/17

    já sabia
    seria

    não temia
    sentia

    novos dias
    sabia

    de novo
    o que
    esquecia

    já sorria
    vivia

    o que
    está

    já era.

    [lisboa, janeiro 2017]

    DEZEMBRO

  • por Juliana Marcondes 2/mar/17

    doze meses
    em um
    só.


    não foi,
    dezembro.

    dez para
    todo amor,
    todo tempo.

    dez para
    toda casa,
    toda volta.

    e de dez
    em dez

    mais
    um ano
    se faz.


    [curitiba, dezembro 2016]

    NOVEMBRO

  • por Juliana Marcondes 15/jan/17

    do frio
    que chove
    dentro

    do sol
    que aquece
    agora

    lembro tudo
    levo pouco

    tudo vai
    e volta

    recomeça
    e fica

    de novo
    em novembro


    [lisboa, 30 de novembro de 2016]

    OUTUBRO

  • por Juliana Marcondes 2/nov/16

    outubro,
    ou tudo.
    todo fim
    canto tem.

    conto só,
    um pouco
    do rumo,
    de tudo.

    tudo vem,
    bem também.
    outubro,
    ao mundo.

    [lisboa, 31 de outubro de 2016]

    SETEMBRO

  • por Juliana Marcondes 2/out/16

    sem tempo,
    setembro.

    sem ombro
    também.

    seu tempo
    setembro.

    é tempo
    que não
    tem.

    eu volto
    setembro.

    no tempo
    que não
    vem.

    [lisboa, 30 de setembro de 2016]